Conhecendo a Realidade Imobiliária do Mundo

Muito se fala sobre os valores dos imóveis no Brasil. Diante das inúmeras afirmações de que os preços praticados por aqui são absurdamente altos, resolvi analisar o custo do metro quadrado de imóveis em outras localizações do mundo, por curiosidade. Estas foram as avaliações:

1° Lugar – Mônaco

O primeiro lugar da lista é ocupado pelo segundo menor país do mundo, o Principado de Mônaco, localizado no sudeste da França. Com apenas 0,4 km² de área e a mais alta densidade populacional do mundo, a cidade-estado tem o turismo como principal fonte de renda, atraindo milionários de todo o mundo para os circuitos de Fórmula 1 e para o luxuoso Cassino de Monte-Carlo. Livre da obrigatoriedade do imposto de renda, o lugar ainda é famoso pela fama de Paraíso Fiscal de investidores.Com o preço do metro quadrado girando em torno dos U$ 58 mil, uma quitinete de 30m² pode chegar a custar algo perto dos US$ 1,7 milhão.

Viver em um espaço tão exíguo tem lá seu preço, não é mesmo?

Preço do Imóvel em Monaco

 

2° Lugar – Saint-Jean-Cap-Ferrat (Riviera Francesa)

Logo atrás no ranking, estão os imóveis de Saint-Jean-Cap-Ferrat, localizada nos Alpes Marítimos, no sudeste da França. A apenas 10km de Nice e de Mônaco, Saint-Jean-Cap-Ferrat é uma pequena quase-ilha de 282 hectares charmosíssima, endereço de mansões e destino de muitos famosos que procuram refúgio dos holofotes. O sossego e a beleza do lugar têm preço e quem pretende manter um esconderijo no lugar terá que desembolsar nada menos que US$ 51 mil dólares por m².

3° Lugar – Londres (Inglaterra)

Terceiro lugar na lista, a capital inglesa também está entre os lugares mais caros do mundo para se comprar um imóvel. Conhecida por ser um dos grandes centros financeiros do mundo, o metro quadrado na cidade está avaliado em torno dos US$ 48 mil.

Preço do Imóvel em Londres - Inglaterra

4° Lugar – Hong Kong (China)

Trigésima economia do mundo, de acordo com dados do Banco Mundial, Hong Kong está localizada na costa sul da China, em um território de apenas 1,1 km². Em um espaço tão diminuto, os preços das áreas podem chegar a US$ 47 mil. Para aqueles que não podem investir tanto, a saída é partir para a compra de um apartamento. Com preços mais “acessíveis”, algo em torno dos US$ 28 mil, eles também estão bem longe da realidade do Brasil.

Preço do Imóvel em Hong Kong - China

5° Lugar – Courchevel (França)

Situada nos Alpes Franceses e parte de Lês Trois Vallees, maior área esquiável interligada do mundo, a região é uma das mais assediadas pelos apaixonados do esporte. Quinto espaço mais caro do mundo, é conhecida pela vida noturna agitada, pelos bons restaurante e lojas e por ser abrigo de muitos hotéis de luxos, destinados aos milionários do mundo todo. Quem pretende manter um empreendimento no local precisará desembolsar algo perto dos US$ 44 mil por m².

Preço do Imóveis em  courchevel - França

6° Lugar – St. Moritz (Suíça)

Precursor dos esportes e do turismo na neve, Saint Moritz está a aproximadamente 1.800 metros acima do nível do mar. Próxima aos Alpes Suíços e do Lago Engadin, St. Moritz tem o sexto metro quadrado mais caro do mundo, cobrando até US$ 42 mil por metragem.
Preço do Imóvel em St Moritz - Suíça

7° Lugar – Gstaad (Suíça)

O vilarejo de Gstaad está a mil metros acima do nível do mar, no sudeste da Suíça. Frequentada por milionários que buscam um lugar agradável e exclusivo para praticar esportes na neve, seu m² é o sétimo do mundo com o valor de US$ 39 mil.

Preço do Imóvel em Gstaad - Suíça

8° Lugar – St. Tropez (França)

Atual ponto de encontro dos jovens milionários e estrelas de Hollywood que buscam belas paisagens para se bronzear, a região passou de simples vilarejo a cidade badalada depois que a ilustre atriz francesa Brigitte Bardot se mudou para o local. Tema de música da banda Pink Floyd, quem quiser ter a chance de manter um imóvel por lá terá que desembolsar nada menos que US$ 38 mil por m².

Preço do Imóvel em St Tropez - França

9° Lugar – Genebra (Suíça)

Capital da diplomacia, a falta de oferta imobiliária em um país sem espaço para construção e a alta do franco suíço fizeram com que a cidade de Genebra aparecesse entre os dez m² mais caros do mundo. Em nono lugar na listagem, o metro quadrado em Genebra pode custar até US$ 31 mil.

Preço Imóvel em Genebra - Suíça

10° Lugar – Hong Kong

No quarto lugar da lista, Hong Kong volta a aparecer em décimo lugar no ranking por causa dos preços de seus apartamentos, avaliados em US$ 28 mil/m²

Observei alguns pontos em comum entre as dez regiões e visualizei os motivos para estes lugares estarem no topo dos espaços mais valorizados do mundo.

1. Falta de espaço para novas construções.
2. Pouca oferta para a demanda existente.
3. Exclusividade e luxo.
4. Imóveis localizados em centros de cidades com grande poder político e econômico.

Essas regiões, porém, já atingiram um valor tão exacerbado que seria arriscado investir, por não terem mais margem de crescimento. O Brasil, ao contrário disso, cheio de lugares propícios para o crescimento e com grande déficit habitacional, ainda deve assistir a um crescimento contínuo no valor do m² vendidos por aqui.

Espero que tenham gostado!

Forte Abraço,

Barbara Gonçalves.

VN:F [1.9.22_1171]
Quantas estrelas essa pagina merece?
Rating: 4.8/5 (5 votes cast)
Conhecendo a Realidade Imobiliária do Mundo, 4.8 out of 5 based on 5 ratings

19 comentários para “Conhecendo a Realidade Imobiliária do Mundo”

  1. Lucio Fittipaldi 16 de abril de 2012 às 16:29 #

    E ainda falam sobre bolha imobiliária no DF!…
    Temos muito espaço para valorização imobiliária, como você já tratou em um dos seus artigos.
    Obrigado por compartilhar!

    • Deilton 27 de agosto de 2012 às 13:59 #

      Lúcio, a diferença é que nesses locais a renda per capta é altíssima. Diferente da nossa. O que está inflando os preços dos imóveis aqui no Brasil é a política de crédito fácil, incentivada pelo governo. O governo está reduzindo os juros de forma artificial, aumentando a quantidade de dinheiro na economia. Se a há mais dinheiro em circulação, o preço do dinheiro (juros) cai e fica mais fácil conseguir crédito. Olhe o que está acontecendo com a poupança, vem batendo recordes de arrecadação. Claro, se há mais dinheiro em circulação, natural que haja mais dinheiro sendo “poupado”. Acontece que essa poupança é irreal. Não está havendo abstenção do consumo e sim mais dinheiro no mercado. Eu acho que estamos sim vivendo uma bolha imobiliária no Brasil. O pior, ou melhor, dependendo do ponto de vista. Ela está concentrada nos bancos públicos. Quando a conta vier, toda sociedade terá que pagar para socorrer os bancos.

    • Manoel 10 de outubro de 2012 às 12:15 #

      Olá! Todos esse lugares que vc fez levantamento de preços são todos bem estruturados, paise ricos, com boa distribuição de rendas onde as podem realmente comprar imoveis com taxas de juros bem memores q no Brasil. Não podemos comparar Londres com Bsb, aqui tem muito que melhorar pra cobrarem preços de m2 tão alto ok

    • Henrie Van den Bruck 10 de outubro de 2012 às 22:17 #

      Corcordo com voce o Brasil tem lugares maravilhosos que devem ser mais valorisados eu particularmente amo o Brasil e acho que poderia ser muito melhor se o valorizascem.

    • bruno 10 de abril de 2017 às 06:40 #

      Mas nada chega ao pés aqui no nosso portugal. 123 mil euros por metro quadrado mesmo ali em coimbra.

      http://www.jn.pt/justica/interior/peritos-judiciais-julgados-avaliar-17-m2-de-terreno-em-21-milhoes-de-euros-5785526.html

  2. Maristela Neves 16 de abril de 2012 às 16:32 #

    É muito bom conhecer mais sobre o mercado imobiliário. Se o investimento no mercado imobiliário internacional de luxo esta tão elevado, resta para desfrutar desses pequenos paraísos a opção do turismo (rsrs). E quanto aos investimentos, a melhor opção é contar com a consultora autora do artigo e explorar mais o mercado nacional.

  3. Arthur 16 de abril de 2012 às 16:43 #

    Muito interessante a matéria sobre os m2 mais caros do mundo. A abordagem utilizada nos faz observar um equívoco da percepção popular, de que o m2 em regiões privilegiadas do Brasil está flutuando em patamares infundamentados.
    Transpondo ao cenário local, creio que uma possível “bolha” noticiada por veículos de mídia recentemente, não seja também uma afirmativa tecnicamente embasada, uma vez que Brasília figura em posição de destaque no cenário nacional, e o Brasil cada vez entra para o eixo da atenção mundial.
    Logicamente existem fatores influenciadores específicos em cada mercado, porém a comparação com as localidades citadas no artigo evidenciam que os preços praticados no mercado local e nacional ainda estão longe de um patamar (totalmente) ilusório.

    Parabéns pelo post!

  4. Magda Matsuda 16 de abril de 2012 às 16:49 #

    Barbara, excelente artigo, alias vc esta de parabens pelos temas abordados, a melhor opcao mesmo e contar com sua consultoria para compra e venda de imoveis.

  5. hilda longhi 17 de abril de 2012 às 11:04 #

    Parabéns!!!!!
    É lindo estar acompanhando o desenvolvimento das pessoas e ver que as crianças que gostamos muito se tornaram adultos maravilhosos e executivas de sucesso…parabéns pelo artigo interessante .

  6. Danielle Marie Uhebe 17 de abril de 2012 às 16:18 #

    Tanto no Rio de Janeiro quanto Juiz de Fora o mercado imobiliario tambem esta em alta…bastante agitado…no Rio de Janeiro Zona Sul…sem lugar para novas construçoes e o m² só crsce a cada dia…aluguel….falta imóveis para alugar…o crescimento tem se dado na Barra da Tijuca e Recreio…em Juiz de Fora cidade tb em crescimento com os imoveis no grande centro antigos e alugueis altos tanto residencial quanto comercial… e periferia com bastantes obras novas….emfim, por aqui o caminho tb está seguindo….

  7. Rui 19 de abril de 2012 às 09:12 #

    Estamos, nós brasileiros, acostumados a olhar para dentro, o que normalmente nos conduz para uma realidade distorcida. Mas com os novos tempos o Brasil esta se “mundializando” – com o perdâo do nosso português. Com os numeros que vc, Bárbara, apresentou, a realidade fica mais cristalina. A conclusao é que, mesmo com repiques de curto prazo, a tendència de longo prazo é de valorização, acompanhando a própria projeçāo do nosso País no cenário internacional.
    Parabéns!

  8. Barbara Peres Gonçalves 23 de abril de 2012 às 18:36 #

    Muito Obrigada por todos os comentários! Continuem acompanhando nossos artigos. Forte abraço.

  9. Jean 8 de setembro de 2012 às 20:36 #

    Você é linda em Barbara.. Você é solteira? devo admiti que você é mais linda do que todo esses lugares juntos.

  10. José Ricardo 12 de setembro de 2012 às 13:36 #

    Muito bom o artigo.

    Em Brasília não é diferente, mas acredito que trata-se de um lugar diferente, pois é o centro do Poder no país, alem de uma renda per capita elevada.

    Mas fica pergunta. Será que os preços estão justos ? Existe um bolha aqui ? Brasília tem muito lugar para crescer ainda ?

    !Os preços estão “andando”…

    Flw

  11. Henrie Van den Bruck 10 de outubro de 2012 às 22:08 #

    Eu sou Holandes e meu pai é suiço, em lisboa as propriedades são bem caras também, mas em questão da suiça tem propriedades muito caras mais valem a pena, meu pai envestiu muito cara na nossa casa em St. Moritz mais é tudo muito lindo vale a pena.

  12. Cleiton Santos 15 de fevereiro de 2013 às 17:57 #

    Olá!
    O Principado de Mônaco possui na verdade 1,95 km2 de área total sendo o 2º menor país.
    O Estado da Cidade do Vaticano é quem possui 0,44 km2 de área sendo o menor país do mundo!

  13. Alexandre 18 de fevereiro de 2013 às 16:21 #

    Realmente, independente da renda per capita e do IDH dos países, provavelmente o valor por metro quadrado deve ser caro até para eles e esta bem fora da realidade do Brasil.

  14. Gustavo 2 de abril de 2013 às 09:33 #

    Bárbara, a matéria é bem interessante, ´porém tem um erro: Hong Kong aparece em 4o e em 10o lugares, com valores distintos por m2. Abraço!

  15. willian bedana 12 de abril de 2013 às 09:18 #

    ótima materia, parabens

Deixe um comentário